LOGNAUT

Investimento de bilhões em novas estruturas portuárias nos Estados Unidos

Um navio da Guarda Costeira em patrulha no Porto de Long Beach, na Califórnia. | (DAVID MCNEW/GETTY IMAGES)

Por Sean Lyngaas, CNN

Crypto and Banking

We recommend the following high-quality options for secure Bitcoin transactions and online banking services:

BTC and ETH QR code generator websites

This collection comprises of a variety of online platforms, designed to generate QR codes for Ethereum (ETH) and Bitcoin (BTC) addresses. These websites offer a user-friendly interface with step-by-step guides to help users create custom QR codes that serve as a direct channel to their crypto wallet addresses. Users could conveniently use these generated QR codes for transactions, thus making the process of sending and receiving cryptocurrencies faster and more efficient. The collection includes online tools with different features such as customization of QR codes, error correction capability, and optional encryption for extra security. The generated QR codes from these sites can be used in print and digital format which are scannable with most smartphone cameras or QR code scanner apps. These websites work as powerful tools for streamlining cryptocurrency transactions and promoting the wider use of digital currencies.

CRA Login Canada Revenue Agency

CRA Login section including CRA My Account login, CRA representing a client, CRA business login, MyCRA Login and more. Canada Revenue Agency.


Last updated: March 20, 2024
by and Alex Morrell is a senior correspondent at Business Insider covering Wall Street at large.

Na quarta-feira, o governo Biden emitirá várias diretrizes de segurança cibernética com o objetivo de reforçar as vulnerabilidades nos portos marítimos dos EUA que poderiam ser exploradas por hackers e abordar os riscos de segurança dos guindastes fabricados na China, de acordo com altos funcionários dos EUA.

As autoridades do governo também planejam investir mais de US$ 20 bilhões nos próximos cinco anos em novas infraestruturas portuárias, incluindo guindastes construídos nos EUA que, segundo as autoridades, apresentarão menos riscos de segurança cibernética e de contrainteligência.

Uma nova ordem executiva do presidente Joe Biden exigirá que os navios e as instalações portuárias dos EUA informem sobre ataques cibernéticos, ao mesmo tempo em que dará à Guarda Costeira maior autoridade para inspecionar ou controlar navios que “apresentem uma ameaça cibernética conhecida ou suspeita”, disse o contra-almirante John Vann, chefe do Comando Cibernético da Guarda Costeira, a repórteres em uma ligação que previa as diretrizes.

As autoridades dos EUA também estão fazendo sua declaração pública mais direta sobre os riscos de segurança dos guindastes fabricados na China, que, segundo Vann, representam quase 80% dos guindastes usados nos portos dos EUA. A Guarda Costeira imporá novos requisitos de segurança cibernética aos operadores desses guindastes para mitigar o risco que eles representam, disse Vann na ligação.

Os guindastes podem ser controlados remotamente, o que significa que um hacker com acesso às redes dos guindastes poderia coletar informações dos portos ou, em teoria, até mesmo causar interrupções nos equipamentos.

Qualquer interrupção nas redes marítimas dos EUA “tem o potencial de causar impactos em cascata em nossas cadeias de suprimentos domésticas ou globais”, disse Vann.

Há mais de 200 guindastes de fabricação chinesa em “portos e instalações regulamentadas dos EUA”, de acordo com Vann. Os especialistas em cibernética da Guarda Costeira fizeram avaliações de segurança e procuraram atividades cibernéticas maliciosas em 92, ou menos da metade desses guindastes, disse ele.

As novas políticas marítimas estavam sendo elaboradas há muitos meses, mas vieram na esteira do testemunho do diretor do FBI, Christopher Wray, no Congresso, de que os hackers chineses estão “se preparando para causar estragos” na infraestrutura essencial dos EUA.

Os hackers chineses se infiltraram nas redes marítimas dos EUA, nas empresas de energia e em outras infraestruturas americanas importantes, de acordo com Wray e outras autoridades dos EUA, e estão à espreita para causar possíveis interrupções no caso de uma crise entre os EUA e a China. Entre os alvos da invasão estava a infraestrutura essencial dos EUA em Guam, e a Guarda Costeira tem estado na linha de frente da resposta às invasões digitais.

A China negou veementemente as alegações e acusou os EUA de conduzir suas próprias campanhas de hacking contra a China.

As novas diretrizes também têm como objetivo proteger uma artéria fundamental da economia. Os portos marítimos dos EUA geram trilhões de dólares em atividades econômicas a cada ano, de acordo com especialistas.

Cerca de 69% de todas as mercadorias comercializadas pelos Estados Unidos são transportadas via marítima. Os portos empregam mais de 31 milhões de americanos e movimentam uma cifra superior a US$5 trilhões anualmente.

“Um ataque cibernético pode causar tanto, se não mais, danos do que uma tempestade ou outra ameaça física”, disse Anne Neuberger, conselheira adjunta de segurança nacional para tecnologia cibernética e emergente na Casa Branca.

Suspeitos de hackers apoiados por governos estrangeiros invadiram, em agosto de 2021, uma rede de computadores no Porto de Houston, um dos maiores portos da Costa do Golfo dos EUA, mas a detecção precoce do incidente significou que os invasores não estavam em posição de interromper as operações de navegação, de acordo com um comunicado da Guarda Costeira obtido anteriormente pela CNN. O aviso não identificou o governo estrangeiro.

Fonte: CNN Politcs